Geografia Ambiental

Serra de Paranapiacaba

Compartilhe:     |  13 de junho de 2015

A Reserva Biológica do Alto da Serra de Paranapiacaba é uma área doada por Hermann Friedrich Albrecht von Ihering e pela São Paulo Railway Company em 1909 e ampliada por compra feita pela Fazenda do Estado em 1912 e 1926.

Local freqüentado pelos índios Guainazes, Tupiniquins e Tamoios, seu nome significa “lugar de onde se avista o mar”. Faz parte da história do Brasil, tendo trilhas percorridas por Dom Pedro I.

A Comissão Geográfica e Geológica entre 1886 e 1914 nela coletou dados geológicos, geomorfológicos, climáticos, botânicos e edáficos, considerados importantes marcos da pesquisa no Estado de São Paulo. A partir daí, foi foco da atenção de centenas de cientistas brasileiros e estrangeiros encantados com a riqueza da flora e fauna.

Neste século de existência, a Reserva Biológica de Paranapiacaba recebeu visitantes ilustres como Washington Luis, Presidente do Estado de São Paulo, em 1922, em 1926 Marie Skolodowska-Curie, prêmio Nobel de Física e Química e a artista Margaret Mee em 1955.

Floresta exuberante da Mata Atlântica, a Reserva ainda possui rica biodiversidade associada a paisagens fantásticas. Foi tombada em 1985 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo.

Paranapiacaba – Uma fugida na Grande São Paulo

Paranapiacaba, significa “lugar de onde se vê o mar”, faz parte do município de Santo André e fica no meio da Serra do Mar, é uma vila ferroviária construída pela companhia inglesa de trens São Paulo Railway, estrada de ferro que fazia o transporte de cargas e passageiros entre o interior, a capital e o litoral paulista, em Santos. A Ferrovia foi desativada mas a vila permanece, embora hoje em dia não esteja tão bem conservada, ainda mantém os seus encantos.

FOTOS-18-04-2010-021

O que fazer em Paranapiacaba:

Que tal uma Trilha?

São diversas, de nível leve, médio e pesado, tudo depende do percurso que vc escolher, tem para todos os gostos e “bolsos”, o valor depende da caminhada e nível de dificuldade, os preços variam de 20,00 à 80,00 em média, vc pode fechar antecipadamente com alguma agência de turismo ecológico (digitando na internet se acham várias) ou ir direto e fechar lá na hora com os guias que ficam no local (eu prefiro fazer assim).

As trilhas só podem ser feitas com a presença de um guia, por mais que vc seja o “desbravador da selva” não poderá entrar no parque sem pagar para que um guia lhe acompanhe, e vamos combinar que é muito melhor, ele já conhece todos os caminhos, vai contar “causos”, te mostrar a variedade de espécies da região e pra completar vc não corre o risco de ter que ser resgatado pelos bombeiros.

FOTOS-18-04-2010-017

Fonte: Botânica



Fonte:



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Doação de sangue em animais: como funciona e os requisitos para um animal ser doador

Leia Mais