Notícias

Serragem de madeira vira plástico totalmente biodegradável

Compartilhe:     |  27 de abril de 2021

Um bioplástico de alta qualidade foi criado a partir de subprodutos da madeira, descartados por serrarias, marcenarias e pela indústria de papel e celulose.

“Desenvolvemos um processo de fabricação direto e simples que gera plásticos à base de biomassa a partir da madeira, mas um plástico que também oferece boas propriedades mecânicas,” conta o professor Yuan Yao, da Universidade de Yale, nos EUA. “Muitas pessoas tentaram transformar esses tipos de polímeros em plástico, mas as fitas não eram boas o suficiente para substituir os plásticos que usamos atualmente, que são feitos principalmente de combustíveis fósseis.”

O processo começa com a desconstrução da matriz porosa da madeira natural, para produzir uma massa pastosa.

Os pesquisadores usaram serragem – um pó de madeira descartado como lixo em serrarias e marcenarias – e desconstruíram a estrutura porosa e solta desse pó com um solvente eutético profundo (DES), que é biodegradável e reciclável – uma mistura eutética é uma mistura homogênea de substâncias que derrete ou solidifica a uma temperatura que é inferior ao ponto de fusão de qualquer um dos seus constituintes.

O material resultante apresenta estabilidade para reter líquidos, resistência à luz ultravioleta e uma alta resistência mecânica, graças a um emaranhamento das fibras em nanoescala e a ligações de hidrogênio entre a lignina regenerada e as micro/nanofibrilas da celulose.

Serragem de madeira vira plástico totalmente biodegradável

O plástico mostrou-se resistente e flexível, resistindo inclusive a dobras fechadas.
[Imagem: Qinqin Xia et al. – 10.1038/s41893-021-00702-w]

Resistente e biodegradável

Com alto teor de sólidos e alta viscosidade, o material não é mais madeira, mas plástico, podendo ser fundido e laminado sem quebrar.

Ele também pode ser reciclado ou biodegradado no ambiente natural, com um impacto ambiental de ciclo de vida menor quando comparado com os plásticos à base de petróleo e outros plásticos biodegradáveis.

Para testar isso, a equipe enterrou folhas do bioplástico no solo. O material fraturou-se após duas semanas e degradou-se completamente após três meses.

“Isso, para mim, é o que realmente torna esse plástico bom: ele pode ser reciclado ou biodegradado,” disse Yao. “Minimizamos todos os materiais e resíduos que hoje vão para a natureza.”

O bioplástico tem inúmeras aplicações. Ele pode ser moldado em um filme que pode ser usado em sacos plásticos e embalagens, que é um dos principais usos do plástico. E, como o bioplástico pode ser moldado em diferentes formatos, ele tem potencial para uso na manufatura, com resistência inclusive para ser usado em peças de automóvel.

Bibliografia:

Artigo: A strong, biodegradable and recyclable lignocellulosic bioplastic
Autores: Qinqin Xia, Chaoji Chen, Yonggang Yao, Jianguo Li, Shuaiming He, Yubing Zhou, Teng Li, Xuejun Pan, Yuan Yao, Liangbing Hu
Revista: Nature Sustainability
DOI: 10.1038/s41893-021-00702-w



Fonte: Inovação Tecnológica



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais