Notícias

Seu amor – ou ódio – por pimenta pode revelar muito sobre você

Compartilhe:     |  9 de janeiro de 2017

Seja você a pessoa que foge da ardência ou a que adiciona pimenta em tudo, as pesquisas a seguir têm algo a revelar sobre sua personalidade. Segundo os estudos, cultura e personalidade desempenham um papel no gosto pela ardência.

A sensação de queimação que você tem quando morde uma pimenta é causada por um receptor de dor conhecido como TRPV1 reagindo à capsaicina, o produto químico ativo nas pimentas. O TRPV1 regula a exposição ao calor, e quando ele é ativado, diz ao seu cérebro que sua boca está muito quente.

No entanto, enquanto sua boca pode sentir como se estivesse em chamas, não há aumento real da temperatura. É simplesmente um truque químico. Mas por que algumas pessoas gostam dessa sensação de ardência causada pela pimenta enquanto outras não a suportam?

John Hayes, diretor do Centro de Avaliação Sensorial da Universidade Estadual da Pensilvânia, levantou a hipótese de que aqueles que não gostam de alimentos picantes são mais sensíveis à queimação. Ele testou isso fornecendo aos participantes do estudo copos de água contendo quantidades crescentes de capsaicina, e sua equipe descobriu que as pessoas que relataram desfrutar da sensação ardente na boca comiam mais alimentos picantes e não eram tão sensíveis às reações provocadas pela pimenta.

Mas o que a sensibilidade tem a ver com isso?

Quanto mais uma pessoa consome um alimento específico, mais gostará dele. É um exemplo de um fenômeno psicológico conhecido como efeito de exposição, que afirma que as pessoas desenvolvem uma preferência por coisas com que estão familiarizadas. Assim, quanto mais você adicionar pimenta ao seu alimento, menos sensível você vai se tornar ao incômodo causado, e vai precisar de níveis mais elevados de capsaicina para atingir essa intensidade original que faz arder a língua.

No entanto, consumir comida picante não é apenas sobre quão dessensibilizado você se tornou à ardência. Na verdade, existem tipos específicos de pessoas mais inclinadas a consumir alimentos picantes: os caçadores de sensações. Hayes e sua colega de trabalho Nadia Byrnes descobriram que aqueles que estavam mais inclinados a desfrutar de extintos de exploração, aventuras e filmes de ação eram seis vezes mais propensos a saborear uma refeição com pimenta.

Quando se trata de quem gosta de comida picante, os pesquisadores também descobriram diferenças de gênero. Em um estudo recente, Hayes e Byrnes descobriram que as mulheres que comem alimentos picantes são mais atraídas pela sensação de ardência – para usar o termo cunhado pelo pesquisador Paul Rozin – do que os homens. Já os homens, por outro lado, são mais propensos a consumir alimentos picantes para impressionar as pessoas ao redor.

Outro estudo, conduzido pela Universidade de Grenoble-Alpes na França, também encontrou uma correlação entre os níveis de testosterona em participantes do sexo masculino e a quantidade de pimenta que adicionaram ao purê de batatas. Os que mais adicionaram pimenta também tiveram tendências a comportamentos de risco e agressão.

Claro que é esta não é uma regra geral, mas sem dúvidas é algo interessante que o molho de pimenta pode nos revelar sobre as pessoas.



Fonte: Jornal Ciência - Gustavo Teixera



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Colecionadores de fãs, os siameses são inteligentes, comunicativos e brincalhões. Conheça curiosidades da raça

Leia Mais