Notícias

Sexo e sorrisos promovem ‘guerra de hormônios’ capaz de derrotar substâncias nocivas para a pele

Compartilhe:     |  3 de março de 2019

Além dos cremes, dos cuidados diários, dos tratamentos e das visitas periódicas ao dermatologista, há ao menos duas atividades prazerosas que podem melhorar a saúde da pele. Sorrir e fazer sexo – não necessariamente ao mesmo tempo – liberam substâncias produzidas pelo próprio corpo que combatem outros elementos prejudiciais ao maior órgão do corpo humano.

“Você tem produção de neurotransmissores (substâncias químicas desenvolvidas por neurônios) como dopamina, serotonina e ocitocina, entre outros, que reduzem o estresse. Isso acaba diminuindo o cortisol, que causa oleosidade”, afirma a dermatologista Juliana Piquet, formada em medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialista em dermatologia.

Saúde da pele é afetada por guerra de hormônios deflagrada no sexo e nos sorrisos — Foto: ShutterStock

Saúde da pele é afetada por guerra de hormônios deflagrada no sexo e nos sorrisos — Foto: ShutterStock

O hormônio cortisol é vilão também por reduzir a produção de colágeno, proteína essencial para dar maior elasticidade e firmeza ao maior órgão do corpo humano. Além de ajudar a garantir uma tez firme, transar é importante como qualquer atividade que aumenta a frequência cardíaca.

“Melhora a circulação e o sistema imunológico. A atividade sexual pode ser comparada com uma atividade física, e o fluxo sanguíneo maior ajuda a pele a receber os nutrientes e substâncias de que precisa”, explica Roberta Vasconcellos, pós-graduada em dermatologia e medicina estética.

Outro hormônio importante relacionado ao sexo é a endorfina, que, além de dar uma sensação de bem-estar, ajuda a regular o sono.

“Quando você tem uma boa noite de sono, a pele melhora. O sono muito ‘picado’, mais cansado, não tem esse efeito e você aumenta o cortisol, que é o hormônio do estresse”, destaca a dermatologista Catarine Padoveze, pós-graduada em cosmiatria (especialidade voltada para beleza da pele e para os tratamentos estéticos).

Para as mulheres, há ainda a vantagem da liberação de estrogênio durante o sexo. O hormônio é responsável por dar textura e brilho à pele. Não à toa um estudo dos anos 1990, conduzido pelo pesquisador David Weeks e com participação de 3,5 mil pessoas, concluiu que mulheres que chegavam a três orgasmos por semana tinham aparência, em média, 10 anos mais jovem do que aquelas que tinham apenas dois.

O efeito “melhor remédio” na pele

Dar uma gargalhada é tão bom que o ditado popular já ensinou que sorrir é o melhor remédio. E ele pode ser “receitado”, com sucesso, para a pele.

Ela de novo, a endorfina está ligada a estes momentos de alegria. “É o hormônio do bem-estar, diretamente ligado à sensação de se estar mais bonito. Não é só uma questão fisiológica. A alegria melhora a pele, torna a pessoa mais atraente, e o sorriso manifesta isso”, destaca Roberta.

Assim como o sexo, o sorriso tem o efeito de melhorar a circulação sanguínea, além de servir como um bom exercício para os músculos próximos à boca. “Ajuda a melhorar a circulação, a oxigenação e estimula a produção de colágeno. Além disso, faz uma espécie de musculação no rosto, movimentando vários músculos”, afirma Catarine.

Juliana alerta, porém, que o movimento do sorriso também pode causar linhas de expressão – que, para muitos, são indesejadas. O fortalecimento da musculatura também estimula o depósito de cálcio nos ossos da face, tornando-os mais espessos. Mesmo assim, segundo a dermatologista, o “saldo é positivo” quando se fala dos efeitos de sorrir na pele do rosto: “O fato de sorrir, de ter uma expressão mais leve, leva a um efeito de bem-estar e de melhora com repercussões na pele”.Viva Você: corpo humano é 'máquina' que precisa de manutenção

Viva Você: corpo humano é ‘máquina’ que precisa de manutenção



Fonte: G1



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais