Notícias

Sobre as Asas faz uma escala no Acre para conhecer os Huni Kuim

Compartilhe:     |  18 de Maio de 2015

Depois de passarem por Santarém, Max Fercondini e Amanda Richter decolaram na direção de Jordão, no Acre. Nos arredores da cidade, o casal foi visitar a comunidade dos Huni Kuim, povo indígena que ocupa uma extensa área da Amazônia, desde os Andes Peruanos, até o Norte do Brasil. Apesar do grande contato com outros povos, os Huni Kuim ainda preservam grande parte de sua cultura e seu conhecimento sobre as plantas medicinais. Esse conhecimento foi eternizado em um livro.

O voo para Jordão foi o mais desafiador até o momento. Além de enfrentarem o tempo instável da Amazônia, Max e Amanda sobrevoaram uma área com poucas pistas de pouso, caso acontecesse uma emergência. Depois de pousarem no Acre, seguiram de barco pelo rio Jordão até a primeira das 32 comunidades Huni Kuim. Ali, eles foram recebidos com muita festa (veja no vídeo ao lado).

Amanda foi conhecer o dia a dia das mulheres. A artesã Batani Kaxinawá, uma das poucas mulheres a falar português, explicou que elas são responsáveis por plantar, educar os filhos e preparar as roupas e outros acessórios utilizados no dia a dia. A artesã destaca que os homens sempre ajudam as mulheres nessas tarefas.

Enquanto isso, Max foi ao Fundo do Segredo, local onde os Huni Kuim cultivam as plantas medicinais e se preparam para se tornarem guerreiros. O cacique Sian Txana Huibae explica que os Huni Kuim têm grande respeito por aquelas plantas. Sempre que vão colhê-las, os pajés conversam com elas, explicando que vão fazer aquilo para salvar amigos e familiares.

Esses conhecimentos eram passados de geração em geração de forma oral. Os pajés temiam que as tradições se perdessem. Por isso, com a ajuda do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, reuniram as informações sobre essas plantas no “Livro da Cura do povo Huni Kuim do rio Jordão”. Alexandre Quinet, pesquisador do Jardim Botânico, deu uma cópia do livro para Max e Amanda, como lembrança da visita à comunidade.



Fonte: Rede Globo - Como Será?



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Não há evidências de que o coronavírus possa infectar gatos

Leia Mais