Notícias

Tangerina, mexerica, o nome não importa. Importa que tá na época. Benefícios e Receitas

Compartilhe:     |  5 de junho de 2020

Dia 8 de junho é comemorado o dia do citricultor. Não por acaso, o mês de junho é considerado a melhor época para colheita da safra das frutas cítricas, especialmente as tangerinas do tipo comum, as conhecidas como ponkan, com grande oferta no mercado nacional e preços melhores ainda.

O Brasil produz cerca de 1 milhão de toneladas por ano e toda a produção fica para o consumo interno. Brasileiro gosta mesmo das tangerinas.

Mas antes, vamos esclarecer essa confusão quanto aos vários nomes que as tangerinas recebem: mexerica, ponkan,  poncã, bergamota, murcott, laranja-cravo e muitos outros. Será que se tratam de simples variações de nomes regionais ou, de fato, as frutas são diferentes?

Um pouco das duas coisas.

Os citrus

A tangerina faz parte de um grande grupo chamado citrus. Os citrus são de origem asiática, basicamente Índia e China. Dentro do citrus entram a laranja, limão, limas, limas-ácidas, cidras, toranjas, pomeleiro e tangerina. Dentre os tipos de tangerinas, existem vários grupos, da mesma família, porém com características bem específicas.

Por isso as frutas da família da tangerina se parecem no formato e na aparência, mas diferem no sabor, cor, tamanho, textura da casca, época de colheita e quantidade de sementes.

Os nomes também podem variar de acordo com a região.

No interior paulista, por exemplo, é comum chamar mexerica e ponkan, e às vezes, um único nome, “mexerica ponkan ou poncã”.

No Rio de Janeiro e em grande parte do Nordeste, o nome é tangerina mesmo.

No Rio Grande do Sul, bergamota, no Paraná mimosa, no Maranhão tanja.

A língua em uso, cada um tem o seu e não vamos brigar por isso, mas o que diz a botânica?

No caso, podemos afirmar que toda mexerica é uma tangerina, mas nem toda tangerina é uma mexerica!

Já sabemos que todas são tangerinas, mas elas possuem nomes específicos designados para orientação e controle das vendas pelos órgãos de fiscalização. São chamados como “cultivares”, seriam os nomes oficiais ou científicos, dessas frutas.

Nomes científicos

O grupo das tangerinas é conhecido cientificamente de acordo com as variedades:

A Embrapa orienta que todos deveriam usar os nomes oficiais como garantia de exigência pelos consumidores de melhor qualidade dos frutos. Mas também reconhece que o problema decorre da forma de trabalho dos atacadistas e varejistas, que para facilitarem as operações com frutas nos centros de distribuição acabam tratando cultivares diversos como únicas, as quais, algumas vezes, chegam a até a estar presentes na mesma gôndola de determinados supermercados.

Ao invés de comercializarem as frutas de acordo com as suas corretas denominações, as quais estão contidas no Registro Nacional de Cultivares do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (BRASIL, 2016), acabam utilizando grafias genéricas nos pontos de comercialização, de acordo com a variação regional ou característica.

Mas não adianta, elas não são de conhecimento do público que, em sua maioria, adotou o nome regional atribuído a cada grupo de fruta.

Por essa razão, vamos descobrir alguns tipos de tangerina mais comuns consumidas no Brasil a partir dos nomes regionais adotados.

Nomes populares

Ponkan ou poncã

Como dito acima, em algumas regiões como São Paulo, a ponkan ou poncã é conhecida como “mexerica ponkan”.

É a mais comum e popular dentre todas as tangerinas da espécie comum (Citrus reticulata Blanco). Cultivada em grande parte na região Sudeste, principalmente nos estados de São Paulo e Minas Gerais.

Doce e com a casca grossa, com variação de cor de verde à amarela, quando bem madura, os grumos se soltam com muita facilidade e é fácil de descascar.  A casca é solta do fruto e sai com bastante facilidade.

A época de colheita inicia em maio e vai até julho, sendo junho o melhor tempo.

Mexerica, mexerica do rio ou Bergamota

Esse tipo de tangerina é do grupo Mediterrânea (Citrus deliciosa Ten.).

No Sudeste, é conhecida como mexerica. No centro-oeste é conhecida como mexerica ou mexerica do rio, no Rio Grande do Sul é conhecida como bergamota, no Paraná, mimosa.

Os frutos são de tamanho pequeno a médio, menores e mais ácidos que a ponkan, de formato arredondado, mas achatado nos polos, contendo um pequeno pescoço e um umbigo pouco pronunciado. São fáceis de descascar, tendo polpa amarela-alaranjada.

A casca é mais fina se comparada a ponkan, possui bastante sementes, e o óleo presente na casca é em maior abundância, por isso ela possui um cheiro bem forte e fixam nas mãos ao descascá-las.

A casca, quando o fruto está maduro, é mais alaranjada.

Murcott, Murcote ou Morgote

Produzida em maior parte no Rio Grande do Sul, é um cruzamento entre a ponkan e a laranja pêra (Comum Citrus reticulata Blanco x Citrus Sinensis).

Seus frutos são arredondados, possui mais sementes, sabor mais próximo da laranja, doce e acidulada e a casca é fina, não se solta com facilidade.

Laranja-cravo

No sabor, mais parece com limão. Muito ácida, chegando a ser um pouco azeda.

Na aparência, uma pequena tangerina. De casca bem fina, difícil de descascar, cor esverdeada a amarela, e internamente, bem alaranjada.

Precoce, a colheita é a primeira do ano dentre as tangerinas, ofertada entre os meses de março a maio na região de São Paulo.

Propriedades, nutrientes e benefícios das tangerinas

As tangerinas são ricas em:

Aliada na perda de peso. Doce e pouco calórica. Cem gramas de tangerina fornecem 38 calorias. Uma laranja comum, 45 e uma maça, 60.

Além de tudo isso, possui uma substância chamada nobiletina, que ajuda o organismo a manter bons níveis de colesterol e auxilia no controle metabólico.

Principais usos das tangerinas

A fruta pode ser consumida in natura ou transformada em várias receitas, como bolos, drinks, pães, doces, molhos, recheios, o que sua imaginação alcançar.

Os principais produtos e subprodutos obtidos com o processamento das tangerinas são:

Receitas

Para finalizar, algumas receitas para servir de inspiração.

Bolo de tangerina, fácil de fazer

Esse bolo é maravilhoso, porque utiliza a mexerica inteira, com casca e tudo. Muito nutritivo.

Ingredientes

Modo de fazer

Bata todos os ingredientes no liquidificador e depois leve ao forno numa forma untada, por 35minutos, a 180º graus.

Calda

Leve ao fogo e após ferver conte 2 minutos e desligue o fogo coloque a calda no bolo ainda quente .

Veja o asso a passo da receita:

Geleia de tangerina

Ingredientes

Modo de fazer

Bata no liquidificador 10 tangerinas com dois copos de água. Separe duas tangerinas, descasque, retire as sementes e pique.

Com as cascas, escalde-as em água fervente e depois pique para utilizar na geleia também.

Depois de liquidificar, peneire para retirar os bagaços.

Numa panela, leve todos os ingredientes e deixe em fogo baixo mexendo sem parar por cerca de 50 minutos.

Guarde num vidro ou pote esterilizado.

Siga o passo a passo aqui:

Gin tônica de tangerina

Para refrescar e sair do convencional.

Ingredientes 

Modo de Preparo

Em uma taça, adicione o suco de tangerina e o Gin. Preencha a taça com gelo e em seguida, complete com tônica. Mexa bem e decore com os gomos da tangerina e um ramo de hortelã. Sirva com um sorriso.

Para quem quiser saber mais sobre os cítricos

Ficou interessado? Nos links abaixo você pode aprofundar sua pesquisa sobre os cítricos, conhecendo melhor os diversos tipos de espécies de tangerinas, inclusive com fotos.



Fonte: GreenMe



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais