Trilhas da Paraíba

Taperoá

Compartilhe:     |  14 de outubro de 2018

Taperoá é famosa por nela transcorrer toda a história da peça Auto da Compadecida, do escritor paraibano Ariano Suassuna. No ano de 2007, Taperoá viveu bons momentos com as gravções da microssérie A Pedra do Reino, escrita também por Ariano Suassuna. Na época foi montada um cidade cenográfica onde foi gravada a história com a participação de artistas locais e da própria Rede Globo. Durante o período de gravações a cidade foi muito vista por parte da imprensa.

Taperoá situa-se na Micro Região do CARIRI Paraibano. Limita-se ao norte pelos municípios de Salgadinho (30km), Passagem (36km) e Assunção, ao leste com Juazeirinho(42km) e Gurjão (45km), a oeste com Desterro (33km), Passagem (36km),Teixeira (54km), e a sul com Livramento (30km), São José dos Cordeiros (24km).

O clima do município é Semi-árido, com máximas de 32°C e mínimas de 17°C. O período chuvoso começa em janeiro à abril, com maior intensidade nos meses de fevereiro e março

A vegetação predominante do município é: Capoeira Média (aroeira e angico); Capoeira Arbustiva (jurema preta); Capoeira Herbácea (marmeleiro e mufumbo); Pastagem Natural, (capim mimoso, pé de galinha e carrapicho); Pastagem Artificial (capim buffel, capim elefante e palma forrageira); Lavoura Permanente (mangueira e goiabeira); Lavoura Temporária (milho,feijão vígna, tomate, cenoura e pimentão).

A serra da Borborema atravessa o território municipal com ramificações para outros Municípios da Paraíba e de Pernambuco, tornando assim a superfície de Taperoá bastante acidentada e pedregosa. Erguem- se ainda no Município, como braços da Borborema,as serras do Gonçalo , dos Cariris Velhos e do Algodão.A cerca de 15 quilômetros da sede, no planalto da serra, eleva-se um bloco granito de grande volume e altura, denominado “Pico’que é , depois do Jabre o ponto mais alto do Estado.

De lá é possível descortinar, em derredor, num raio de dezenas de quilômetros, um vasto panorama.

O rio principal do Município é o Taperoá. Nasce no Município de Teixeira e deságua no rio Paraíba, depois de percorrer os Municípios de São João do Cariri e Cabaceiras. O atual topônimo do Município originou- se justamente deste rio. Além do rio Taperoá, banham terras do Município pequenos riachos,sem curso perene, tais como o Cosme Pinto, Mucuito, Salgado, Carneiro e Carnaúba.

Há duas lagoas na fronteira com São José do Egito de Pernambuco, com os nomes de Fundão e Tabuna.Outras: lagoas do Meio, do Escuro, Queimada, Carnaúba e Tarada, que secam no período de estio.

Em 1956 foi inaugurado o açude da lagoa do Meio, com capacidade para sete milhões de metros cúbicos.

História

Batalhão era seu nome, originado dos ferozes combates que se travaram entre as forças governistas e os rebeldes da Confederação do Equador em 1824. O povoado teve início nas fazendas de gado que foram implantadas por Francisco Tavares de Melo, pelo capitão Gonçalo Pais, pelo ajudante Gomes Pinto e por Manuel de Farias Castro, por volta de 1865 que surgiram as primeiras casas, marco do povoado.

Uma outra família teve grande importância no desenvolvimento do povoado foi a dos Costa Vilar. A Lei Provincial nº 829 de 6 de outubro de 1886, criou o distrito e o município de Batalhão, com território desmembrado de São João do Cariri. A comarca de Taperoá foi criada em 1890. Sua Emancipação Política se deu em 06 de outubro de 1886.


Igreja de Nossa senhora da Conceição – Padroeira



Fonte: Espaço Ecológico (Fotos do taperoaense Antonio David)



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais