Notícias

Tartaruga “punk” ainda corre um grave risco de ser extinta devido ao comércio de animais

Compartilhe:     |  18 de dezembro de 2018

Devido ao seu moicano verde, “dedos” no pescoço e a habilidade de respirar pelos genitais, a tartaruga Mary River conquistou espaço na mídia internacional e ganhou a simpatia de muitos ao saberem da ameaça de sua extinção.

A espécie foi a trigésima colocada na lista de répteis Evolucionalmente Distintos e Globalmente Ameaçados (a sigla EDGE, em inglês), da Sociedade Zoológica de Londres. A lista, que observa prioridades de conservação de espécies em risco, foi compilada por Rikki Gumbs.

Gumbs disse que, após a publicação da lista, a fascinação do povo pela tartaruga “subiu a níveis completamente alucinantes”. Disse que recebeu ligações de jornalistas de vários lugares do mundo.

“É o mínimo que esses animais merecem”, ele diz. “Uma vez que as pessoas percebem o quão incríveis e únicos eles são, não me surpreende que se sintam atraídas por eles.”

A espécie se tornou ameaçada devido ao intenso comércio de animais nas décadas de 1960 a 1970. Tal prática é proibida agora, mas a tartaruga enfrenta uma nova ameaça à sua sobrevivência.

Ela é encontrada somente na pequena região de Mary River, em Queensland, Austrália, e está em perigo pela perda e degradação de seu habitat. Plantas não-nativas impedem que ela ponha seus ovos nas margens de areia dos rios, e a espécie tem sido presa de raposas e cães não-nativos.

Quando a tartaruga ficou famosa, houve uma campanha de arrecadação de fundos, cujo total arrecadado foi de 15 mil dólares australianos, cerca de 41 mil reais. A campanha recebeu apoio do cenário de música punk de Melbourne, que produziu um show para ajudar na arrecadação.

O auge foi quando a tartaruga foi dublada pela Cate Blanchett em um vídeo-campanha feito pela Wilderness Society para salvar animais “feios”. “Aquilo foi muito bom e bastante surpreendente,” disse Gumbs.

Gumbs aprecia o apoio de Hollywood a essas espécies “desafortunadas”, mas toda a atenção dada à tartaruga Mary River não gerou mudança significativa em seu destino.

“Apesar de todos esses grandes holofotes da mídia, não houve nenhuma ação do governo australiano para mudar a situação, o que é realmente vergonhoso,” declara.

A Austrália não dispõe de nenhum plano oficial de proteção aos répteis ou medidas de conservação da espécie da tartaruga, apesar do governo ter lançado um programa de recuperação das tartarugas marinhas em 2003, que foi revisto em 2013 e novamente revisto em 2017.

Embora o governo tenha arrecadado 2,4 milhões de dólares australianos, por volta de 6,7 milhões de reais, durante seis anos para ajudar a recuperar a saúde do habitat da tartaruga, o plano não chegou a ser executado.

De acordo com uma instituição de proteção ambiental local, custaria apenas 40 mil dólares australianos, 111 mil reais, para salvar a tartaruga da extinção. Gumbs aponta que outras espécies de tartarugas também estão correndo o mesmo risco e afirma que “os répteis ainda são completamente negligenciados.”



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Colecionadores de fãs, os siameses são inteligentes, comunicativos e brincalhões. Conheça curiosidades da raça

Leia Mais