Notícias

Técnica permite criar camarão de água salgada nas montanhas de MG

Compartilhe:     |  1 de agosto de 2014

Você gosta de comida mineira? Quais pratos? Tutu, couve, feijão tropeiro? Agora, camarão também pode entrar nesse cardápio. Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais desenvolveram uma técnica para criar camarão de água salgada longe do mar.

Mineiro que é mineiro. Desconfia. “Sem mar, é difícil”, comenta um homem.

“Onde vai ser o cativeiro dele? Me conta”, diz uma empresária.

O mar está reproduzido em tanques do laboratório de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais. Água salgadinha.

“Essa espécie, que é nativa do Oceano Pacífico, ela se adapta muito bem à variação de salinidade, à baixa salinidade. É o camarão mais cultivado do mundo, o camarão marinho”, afirma Kleber Miranda Filho, professor.

Os camarões foram levados para Belo Horizonte há cerca de 3 meses e se adaptaram muito bem ao clima das montanhas. Nos tanques do laboratório mineiro eles cresceram e surpreenderam os pesquisadores com uma taxa de mortalidade muito baixa.

“O clima mais do que favorável. A ideia seria trabalhar com estufa, então mesmo no inverno a gente teria condição de manter o camarão, tentando aí duas a três safras por ano”, explica Kleber Miranda Filho.

O sistema é chamado biofloco. O nível de sal na água é baixo e a temperatura ideal gira em torno de 28°C. Em três meses, os camarões atingiram o peso médio de 3 gramas. A meta dos pesquisadores é 12 gramas. O sistema que reproduz as condições do mar é sustentável.

“É um sistema rico em bactérias, protozoários, que são benéficos para o camarão. E possibilita ao produtor que ele não utilize água. Ou seja, você não precisa ficar renovando a água, você pode utilizar a mesma água durante vários anos, sem renovação alguma, sem lançar efluente no ambiente. Estamos a 600 quilômetros da costa e conseguimos cultivar um camarão marinho”, diz Kleber Miranda Filho.

“Continua faltando aquela brisa de mar, aquela água de coco na beira da praia, mas o camarão é muito bem-vindo”, destaca Sarah Teixeira, publicitária.

“Já imaginou camarão mineiro? Vai ser mais ou menos uma piada brasileira, mas tudo bem. Vamos lá”, ressalta uma empresária.

O desafio dos pesquisadores, agora, é conseguir baratear os custos e atrair produtores interessados em criar camarões em cativeiro em Minas Gerais.



Fonte: Bom Dia Brasil



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

5 coisas horríveis que você não sabia que aranhas podem fazer com você

Leia Mais