Notícias

Tecnologia universal trata esgotos e efluentes de qualquer indústria

Compartilhe:     |  3 de maio de 2021

Cientistas da Rússia afirmam ter desenvolvido uma tecnologia de tratamento de esgotos e efluentes que não tem paralelo no mundo.

Segundo a equipe, a tecnologia é universal, o que significa que ela é adequada para quase todas as empresas industriais, independentemente do processo e dos rejeitos gerados.

O processo limpa as águas residuais industriais não apenas removendo os componentes insolúveis da solução, mas também dessalinizando a água.

O tratamento de efluentes por essa tecnologia ocorre em duas etapas. A primeira é a limpeza preliminar da água, retirando partículas em suspensão. Esta etapa já foi testada no setor petrolífero e usa membranas cerâmicas.

Em seguida, vem a eletrodiálise. Com a ajuda de membranas aniônicas e catiônicas, todos os componentes salinos são separados em duas zonas, o que resulta em uma solução muito salgada (10 vezes mais salgada que a água do mar) e água purificada.

“Fomos mais longe e usamos um tipo adicional de membrana bipolar,” disse o professor Alexander Cherepanov, da Universidade Federal Ural. “Essa é uma construção dos dois primeiros tipos de membranas. Ela decompõe a água do lodo em grupos hidrogênio e hidroxila, que se ligam aos componentes do sal separados. Com isso, obtemos ácido clorídrico e álcali. Assim, de uma solução inicial, obtemos duas – ácida e alcalina.”

Tecnologia universal trata esgotos e efluentes de qualquer indústria

A equipe está desenvolvendo unidades modulares para converter salmoura em ácidos e álcalis.
[Imagem: UrFU/Karina Golovanova]

Da mineração à alimentação

Soluções ácidas e alcalinas são reagentes químicos usados na indústria, conforme demonstraram os testes feitos pela equipe em uma empresa de mineração de fertilizantes.

“Ou seja, nós não apenas não descartamos os resíduos da produção de potássio, mas os processamos em um produto comercializável, usando matéria-prima de custo zero,” acrescentou Cherepanov. “Isso significa que a indústria do potássio não precisa comprar reagentes químicos. Eles vão retirá-los do lixo da pós-produção.”

Mas os produtos liberados pós-tratamento podem ter uso mais amplo, servindo como base para a produção de produtos químicos domésticos, materiais para a fabricação de vidros, detergentes e até alimentos, além de servirem para a mineração e o setor de petróleo.

Nesse último caso, soluções ácidas e alcalinas com conteúdo de sal residual são ideais para remover contaminantes dentro de poços de petróleo e aumentar a recuperação dos reservatórios.

Com base na operação de sua planta-piloto, a equipe afirma que cada unidade de tratamento pode ter uma vida útil de dez anos.



Fonte: Inovação Tecnológica



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais