Notícias

Tigre viaja mais de 1000 km em uma odisseia em busca de comida e habitat

Compartilhe:     |  14 de dezembro de 2019

Um tigre na Índia viajou mais de 1.300 quilômetros em busca alimento, uma companheira e um lar – a maior caminhada já registrada por um felino de grande porte na Índia, segundo pesquisadores.

A odisseia de cinco meses do tigre, apelidado de T1-C1 por cientistas, foi feita em meio a diversas florestas e áreas urbanas até que o animal se estabeleceu em uma reserva natural, disse Ravikiran Govekar, diretor do Departamento Florestal do Estado de Maharashtra, na Índia.

Os tigres do sexo masculino migram como parte de um processo natural de marcar seu território, a fim de encontrar um habitat onde possam afirmar seu domínio, afastando-se de seu local de origem, que já é densamente povoado por tigres.

T1-C1, que tem dois anos e meio de idade, foi um dos três filhotes nascidos de uma tigre chamada de TWLS-T1 em 2016. Um colar de rádio por satélite foi colocado nos três em fevereiro de 2019, como parte de um estudo para monitorar o padrão de dispersão dos jovens tigres.

O tigre começou sua migração no final de junho de 2019 do Santuário de Vida Selvagem de Tipeshwar, no estado ocidental de Maharashtra. Govekar disse que um tigre adulto dominava o santuário e o T1-C1 foi em busca de comida e uma parceira em potencial.

“A principal preocupação é uma próspera base de alimento, no entanto, também é importante encontrar uma companheira e não havia tigres do sexo feminino com quem ele pudesse ter relações sexuais no santuário de Tipeshwar”, disse Govekar.

O tigre atravessou o estado de Telangana, no sul, e voltou a Maharashtra várias vezes, alimentando-se de bois que encontrou pelo caminho e animais selvagens, como antílopes durante o percurso. Em seguida, foi para o Santuário da Vida Selvagem Dnyanganga no estado indiano de Maharashtra, que fica aproximadamente 300 quilômetros a noroeste de onde sua jornada começou.

O colar de rastreamento está ativo há nove meses e será removido do tigre quando a bateria estiver completamente descarregada. Atualmente, o animal está sendo monitorado por funcionários do santuário de Dnyanganga.

Foto: Maharashtra Forest Department
Foto: Maharashtra Forest Department

“O comportamento de um tigre é imprevisível, mas estamos monitorando isso”, disse Vishal Mali, um oficial da divisão florestal do santuário. “A região tem recursos naturais e alimento suficientes para o tigre se sustentar e ele pode decidir se estabelecer ali permanentemente se assim desejar”.

Números crescentes

Os tigres são uma espécie em extinção e menos de 4 mil deles permanecem na Terra. De acordo com o World Wildlife Fund, milhares de tigres vivem em reservas na Índia, onde matar um felino da espécie pode resultar em prisão.

O departamento florestal espera que o estudo da jornada de T1-C1  ajude a gerenciar melhor as rotas de migração de tigres e evitar conflitos entre pessoas e grandes felinos.

O departamento começou a rastrear rotas de migração em 2016, mas é a primeira vez que mais da metade da jornada de um tigre passa por áreas povoadas – o T1-C1 passou por 11 aldeias.

Foto: WWF
Foto: WWF

“Uma vez que entrou na região agrícola, não pode sair e, vendo que poderia se sustentar matando bois (dos criadores) e se movendo ao longo de um riacho, ele continuou avançando”, disse Govekar.

O atrito entre um homem e tigre foi claramente ilustrado quando um morador da região tentou se aproximar do tigre e conseguiu escapar por pouco.

“Houve apenas um incidente em que o animal deu uma patada em um humano que se aproximou dele para tirar uma selfie ou algo assim. O morador ferido se recuperou completamente”, disse Govekar.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Departamento Florestal da Índia, do Ministério do Meio Ambiente, Florestas e Mudanças Climáticas, o país ganhou 6.778 quilômetros quadrados de cobertura florestal entre 2015 e 2017, quando ocorreu a última avaliação florestal.

Enquanto isso, a população de tigres da Índia aumentou quase um terço nos últimos quatro anos, para quase 3 mil animais, de acordo com uma pesquisa nacional divulgada em julho.

Havia 2.967 tigres no país em 2018, de acordo com a Autoridade Nacional de Conservação de Tigres (NTCA), que realiza a pesquisa.

Isso representa um aumento de 33% em comparação com a última pesquisa de 2014, de acordo com uma declaração da NTCA, e continua o crescimento da população que vem sendo observado desde 2006. As informações são do Daily Mail.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Holanda se torna o primeiro país sem cães abandonados – e não precisou sacrificar nenhum

Leia Mais