Dicas Ecológicas

Traças: o que são e como afastá-las de maneira ecologicamente correta?

Compartilhe:     |  10 de junho de 2018

Existem diversas alternativas naturais para afastar as traças, mas a limpeza é a melhor delas

traça

No Brasil, utilizamos a palavra traça para dois grupos de insetos bem diferentes. Um deles é o das conhecidas traças-dos-livros, insetos pertencentes à ordem Zygentoma, e o outro é o das traças-das-roupas, da ordem Lepidoptera, que são a fase larval das mariposas, assim como mostra a imagem acima.

Para explicar melhor o que são esses insetos, quais seus hábitos e como acabar com as traças, entrevistamos o biólogo e pesquisador da área de entomologia da Universidade de São Paulo Bruno Zilberman. Confira a entrevista:

Portal eCycle: Bruno, o que são as traças?

Bruno Zilberman: Traças-dos-livros, como são comumente chamadas, formam um grupo de um dos insetos mais “primitivos” que conhecemos, isso porque compartilham muitas características com os primeiros insetos que viveram há milhões de anos atrás. Uma dessas características, por exemplo, é a ausência de asas. O seu tamanho é de pequeno a médio (0,85 a 1,3 cm); e a forma do corpo alongada, achatada, com três filamentos caudais e coloração em geral acinzentada, faz com que sejam animais bem distintos e facilmente reconhecíveis. São ametábolos, isto é, o estado juvenil desses insetos é muito semelhante ao indivíduo adulto. Qualquer um que tenha tido ou tem essas traças em casa, sabe muito bem, mesmo que intuitivamente, que são animais de hábitos noturnos. Além disso, são muito ágeis, locomovendo-se rapidamente e facilmente entrando em frestas de móveis, armários e caixas. Gostam de ambientes escuros e de umidade.

Veja na imagem a seguir um exemplar de traça-dos-livros, em sua fase adulta, sem asas:

traças

As outras traças (traças-das-roupas), que podem estar presentes em nossas residências, são de um grupo diferente de insetos, da Ordem Lepidoptera, e são pequenas mariposas. Uma diferença marcante delas para as traças-dos-livros é que estas mariposas, usualmente chamadas de “traças-das-roupas”, possuem o desenvolvimento holometábolo, o que significa que a fase jovem é radicalmente diferente da fase adulta. Isso é relevante, já que a importância desses animais como “praga” recai justamente em sua fase jovem, já que essas mariposas em fase adulta possuem o sistema digestório atrofiado e apenas as lagartas se alimentam. As lagartas (fase jovem) são fáceis de reconhecer, já que se deslocam pelas paredes enquanto ficam protegidas dentro de um envoltório achatado. Dentro dessa “blindagem” a lagarta se alimenta e empupa, para logo depois transformar-se em uma mariposa (fase adulta).

Veja na imagem a seguir a traça-das-roupas (larva da mariposa) e o animal na fase adulta, com asas:

traça

eCycle: Fazem mal à saúde?

Zilberman: Não há estudos que sugiram que essas traças causem qualquer mal à saúde.

eCycle: As traças-dos-livros se alimentam do que?

Zilberman: As traças-dos-livros se alimentam de todo tipo de substância contendo amido. Em nossas residências, podem consumir roupasengomadas, cortinas, lençóis, sedas e a cola de amido dos papéis de parede. Vegetais e alimentos que contenham amido também são comida para esses animais; e, claro, como o nome sugere, pode ser uma dor de cabeça para quem tem muitos livros: são capazes de comer o amido dos livros, como a cola de encadernação, pigmentos de tinta e o próprio papel.

eCycle: E as traças-das-roupas? Do que se alimentam?

Zilberman: As traças-das-roupas se alimentam de queratina. Lembrando que os adultos (mariposas) não se alimentam, o problema começa quando a fêmea coloca os ovos em alguma roupa, ou pedaço de tecido, que seja de origem animal, como lã, peles e casimira. Vale enfatizar que os tecidos sintéticos, em geral, não são alvos das traças-das-roupa, já que carecem de queratina, o nutriente de interesse dessas larvas.

eCycle: Devemos acabar com as traças?

Zilberman: Depende da pessoa e da situação. Se as traças estão presentes em um número para você “suportável” sem grandes danos materiais, talvez você fique indiferente à presença delas. Se você estiver tomando conta de uma biblioteca, por outro lado, é capaz que queira ver esses bichos longes de lá!

eCycle: Para quem não pode compartilhar o espaço com estes seres, quais seriam as maneiras de afastá-los?

Zilberman: A primeira coisa a se fazer é a prevenção, evitando o acúmulo de papéis velhos, mantendo os livros e revistas em lugares adequados e limpos. Devemos ficar de olho em lugares escuros e úmidos, onde as traças gostam de ficar; e também é comum elas virem em caixas que trazemos das ruas. A “limpeza” é a palavra-chave, e devemos manter limpos rodapés e frestas com aspirador de pó, reduzindo a disponibilidade de alimento para esses animais.

Para as traças-das-roupas, a etapa de prevenção é saber onde e em que condições colocamos nossas roupas. Sabemos que elas gostam de ambientes quentes e úmidos. Portanto, colocar as roupas em locais limpos, arejados e secos é recomendável. Roupas atacadas podem ser colocadas em sacos plásticos e depois em um freezer por alguns dias. Isso acaba matando os ovos e as lagartas infestantes.

Alguns métodos naturais circulam pela internet com o fim de afastar esses bichos. Um destes métodos é o uso de folhas de louro em gavetas e armários. O cravo-da-índia é também muito utilizado e o método consiste em preparar sachês com os cravos, espalhando-os por armários, gavetas e estantes.

O Instituto Biológico recomenda uma isca caseira contra a traça-dos-livros à base de cola e farinha. A preparação é feita com goma arábica, quatro partes de farinha de trigo, seis partes de açúcar, duas partes de ácido bórico em pó e água para dar liga. Após misturar até formar uma massa homogênea, o Instituto recomenda colocar porções em tampinhas e espalhar nas áreas infestadas.



Fonte: Portal eCycle



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais