Notícias

Um exemplo de consumo sustentável: que tal experimentar a moda das roupas orgânicas?

Compartilhe:     |  12 de agosto de 2014

Conhecida por acompanhar as tendências da sociedade, a moda também não poderia ficar de fora de todo o movimento que tem acontecido nos últimos anos no sentido do consumo sustentável. Uma das vertentes da indústria fashion são as roupas orgânicas, feitas de materiais essencialmente naturais e não sintéticos.

Os materiais para as roupas orgânicas vêm de plantas que não recebem radiação e que não foram geneticamente modificadas ou tratadas com pesticidas sintéticos ou químicos. O cultivo orgânico também utiliza 50% a menos da energia consumida em uma plantação convencional. Assim, esta vertente da moda trabalha com o conceito de agricultura e produção que respeitam o meio ambiente e ajudam a diminuir a poluição.

Para garantir a boa procedência do produto, as roupas orgânicas respeitam as normas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Além disso, os tecidos orgânicos como o algodão, a lã, a seda e o cânhamo devem cumprir a regulamentação estipulada pela Associação de Comércio de Orgânicos.

Entre os tecidos utilizados nas roupas orgânicas, o algodão é o mais procurado. Ele ainda é utilizado para a produção de produtos sanitários, esfregões e fraldas para bebês, assim como em artigos de mesa, banho e até mesmo em papelaria. Porém, outros artigos também são muito procurados, como a lã orgânica, a seda e o cânhamo. Este último é um dos destaques por se tratar de uma fibra natural muito durável que não requer pesticidas e precisa de pouca água para ser cultivado. As fibras de cânhamo podem ser usadas em vestuário, cosméticos e papéis.

Porém, mesmo em um mercado trazendo uma tendência tão importante, ainda existem pessoas que ‘exageram’ na publicidade. Há estilistas que tentam convencer os consumidores de que roupas orgânicas podem melhorar sua saúde, reduzindo o estresse, hidratando e desintoxicando o corpo. No entanto, nenhum estudo aponta ligação entre tecidos eco-amigáveis e saúde. Os benefícios de se consumir este tipo de confecção são muito mais indiretos, como a menor emissão de toxinas no ar, na água e no solo.

O problema ainda é o preço elevado. Camisetas que utilizam 10% da fibra orgânica tem um acréscimo de 7 centavos ao seu preço final. Roupas feitas com 100% de algodão orgânico podem custar de 20% a 50% a mais do que roupas convencionais.

Outra situação desfavorável é a má reputação do cânhamo, devido a sua associação com a maconha. Mesmo a planta cultivada para a obtenção de fibras ser de um tipo diferente ao da droga, sua plantação é ilegal nos Estados Unidos. Porém, na Europa, na Rússia, na China e no Canadá a planta é cultivada normalmente.



Fonte: Pensamento verde



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Quetzal: uma ave bela e misteriosa

Leia Mais