Notícias

Uma catástrofe em desdobramento: o plástico está matando pessoas a cada 30 segundo

Compartilhe:     |  19 de maio de 2019

O ambientalista britânico David Attenborough alerta que os resíduos plásticos estão matando pessoas a cada 30 segundos, e classifica esse tipo de poluição como uma “catástrofe em desdobramento“.

De fato, depois de ter sido encontrado plástico até nas fezes humanas, agora nos resta saber que mal esse lixo todo nos fará à saúde, porque ao meio ambiente e aos animais nós já sabemos: toda semana (senão todo dia) tem notícia de animal morto por causa do plástico. Mas não é só isso! O plástico no ambiente causa ainda mais prejuízos às pessoas que vivem nos países em desenvolvimento, os quais  recebem o lixo plástico como se fossem uma grande lixeira. Dessa importação eles reciclam, queimam, mas muito lixo fica por aí… poluindo. Nós falamos sobre isso no artigo linkado logo aqui abaixo, e hoje vamos falar sobre a denúncia do David Attenborough que trata exatamente desse problema:

Quem é David Attenborough

David Frederick Attenborough é biólogo, antropólogo e naturalista britânico, que através de sua longa carreira, de mais de meio século, apresentou séries e documentários sobre história natural.

Seus inúmeros trabalhos foram expostos na rede britânica de televisão BBC, na qual atuou também como diretor.

Famoso por apresentar programas sobre a natureza, David Attenborough, mais recentemente teve destaque com a série “Blue Planet II”, que aborda o efeito nocivo da poluição nos oceanos.

Agora, David Attenborough se pronuncia apoiando o relatório da instituição filantrópica Tearfundafirmando que o plástico descartável utilizado no mundo todo, principalmente em países ricos como a Grã-Bretanha, contribui para milhões de mortes a cada ano.

Mortes por plástico

O relatório nos lembra que as crianças que têm contato com resíduos de plástico estão sujeitas de adquirir, duas vezes mais, parasitas intestinais e doenças como cólera, que tem levado a óbito crianças menores de cinco anos.

Além de tudo isso, o lixo plástico cria um terreno favorável à infestações e contaminações que geram muitas doenças, como a malária e a dengue.

Em contrapartida a queima de plástico polui o ar e tem a estimativa de matar 3,7 milhões de pessoas ao ano, devido às doenças causadas pela toxidade da poluição plástica.

Esse trágico relatório pede que as pessoas se conscientizem e ajam, com escolhas, produção e consumo mais sustentáveis.

David Attenborough fará a apresentação desse relatório para o Wall Street Journal CEO Council, hoje, abordando todos estes assuntos e mais outros relacionados com os prejuízos que os resíduos de plástico trazem às pessoas, aos seres vivos e ao meio-ambiente.

Sobre a importância dessas informações, David Attenborough esclarece dizendo:

“Este relatório é um dos primeiros à destacar os impactos da poluição plástica, não apenas na vida selvagem, mas também nas pessoas mais pobres do mundo. Já é hora de voltarmos nossa atenção para um dos problemas mais prementes de hoje, evitar a crise da poluição plástica, não apenas pela saúde do nosso planeta, mas também pelo bem-estar das pessoas em todo o mundo.”

Ainda, faz parte do conteúdo desse relatório o pedido para que as que empresas multinacionais  diminuam a produção e distribuição de plástico em países em desenvolvimento até o ano que vem, reduzindo cada vez mais, até cair pela metade no ano de 2025.

A Dra. Ruth Valerio, diretora global de defesa e influência da Tearfund, ainda disse sobre esta questão:

“Os CEOs que gerenciam essas multinacionais não podem mais ignorar o custo humano do plástico descartável. Mudanças fundamentais nos modelos de negócios são urgentemente necessárias. Não há tempo a perder.”

E é fato que também precisamos fazer nossa parte deixando de utilizar plástico descartável e evitando ao máximo comprar produtos de plástico poluente, substituindo pelos feitos com materiais ecológicos e sustentáveis.

E para finalizar uma frase pronunciada por David que retrata a falta de visão da ganância humana na exploração dos recursos naturais e no uso desmedido dos fósseis poluentes:

“Quem acredita em crescimento infinito em um planeta fisicamente finito, ou é louco, ou é economista.”



Fonte: Greenme - Deise Aur



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais