Notícias

Uma hora de caminhada por semana basta para prevenir problemas de mobilidade

Compartilhe:     |  4 de abril de 2019

Já sabemos que se exercitar regularmente, independentemente do quão pouco, pode tornar sua vida mais longa. Porém, uma nova pesquisa publicada na última segunda-feira (1º) sugere que mesmo uma horinha de caminhada por semana pode ajudar adultos mais velhos com joelhos debilitados a evitar dor, isolando deficiências mais pra frente.

Os pesquisadores observaram dados de um projeto anterior que estudou milhares de americanos de meia-idade e idosos com osteoartrite do joelho, o Osteoarthritis Initiative, que começou em 2004. No início do projeto, os voluntários passaram por um check-up médico completo e respondeu a perguntas sobre seus hábitos de vida e então tiveram sua saúde acompanhada periodicamente por até oito anos.

Para o estudo atual, os pesquisadores examinaram cerca de 1.500 adultos que apresentavam dor no joelho, mas nenhuma outra deficiência no início, e os monitoraram durante um período de quatro anos.

Ao final desses quatro anos, eles descobriram que apenas 3% das pessoas que relataram ter feito uma hora de exercício de moderado a vigoroso (o equivalente a pelo menos uma caminhada rápida que deixa a respiração um pouco pesada) ficaram incapacitadas a ponto de não poderem mais atravessar a rua sozinhas, enquanto 24% das pessoas que não atingiram esse limite de exercício ficaram incapacitadas ao final do período de estudo — uma diferença de risco oito vezes maior. Os praticantes também tinham metade da probabilidade de ter problemas com as atividades diárias, como vestir roupas ou tomar banho sozinhos (12% contra 23%).

Os resultados foram publicados nesta segunda-feira, no American Journal of Preventive Medicine.

Já se sabe que o exercício físico ajuda a prevenir condições como a osteoartrite do joelho, a forma mais comum de artrite no joelho. E também pode melhorar os sintomas, reduzir a dor e retardar a progressão da doença em pessoas que já têm a doença articular degenerativa. Mas Dorothy Dunlop, autora principal do estudo e professora de medicina preventiva da Escola de Medicina da Universidade Northwestern Feinberg, e sua equipe foram motivadas a encontrar a menor quantidade de exercício necessária para se sentir esses efeitos, uma vez que muitos idosos com dor no joelho têm dificuldade para se mover.

“Muitas evidências mostram que a atividade física é benéfica para pessoas com artrite. O que esse estudo demonstra adicionalmente é que só uma hora de caminhada breve por semana é benéfica para ajudar as pessoas a manter habilidades que são fundamentais para serem independentes”, disse Dunlop ao Gizmodo.

Atualmente, estima-se que mais de 30 milhões de americanos têm osteoartrite do joelho em pelo menos uma perna — um número que só vai subir com uma população envelhecida. E agências como o CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) recomendam que os adultos com osteoartrite tentem começar a realizar pelo menos duas horas e meia de exercício moderado por semana. A equipe diz que seus resultados devem tranquilizar mais as pessoas que ficam desencorajadas com essa recomendação.

“Essa é uma notícia encorajadora, porque uma hora pode ser uma meta viável para muitas pessoas com articulações rígidas ou doloridas, para quem as duas horas e meia de atividade padrão por semana são difíceis”, afirmou Dunlop.

Uma possível ressalva do estudo, no entanto, é que as pessoas capazes de se exercitar em primeiro lugar podem já ter sido mais saudáveis em geral do que aquelas que não se exercitaram muito. Mas outras pesquisas têm consistentemente ligado o exercício aos benefícios na prevenção ou controle da osteoartrite do joelho. Como sempre, a mensagem a se tirar é: comece a se mover, o tanto e o quanto você puder, mesmo se for apenas para um passeio ao redor do quarteirão.



Fonte: GIZMODO



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Projeto de lei ‘Animal não é coisa’ é aprovado pelo Senado

Leia Mais