Notícias

Vaca-loura: o inseto com aparência assustadora, que tem papel vital para a biodiversidade

Compartilhe:     |  3 de setembro de 2020

Para quem nunca viu ou ouviu falar no inseto vaca-loura, este conteúdo vem apresentá-lo e mostrar que apesar da sua aparência assustadora, ele é um ser inofensivo, muito necessário e útil para a Natureza, porém, devido à devastação das florestas (seu habitat) esta espécie vem diminuindo cada vez mais e está quase entrando em extinção!

Se este inseto deixar de existir, as florestas irão diminuir mais ainda, pois ele contribui para a manutenção da biodiversidade, já que na época da reprodução dessa espécie, as larvas alimentam-se de madeira em decomposição, contribuindo para a produção de húmus rico em nutrientes para o solo.

Quando adultos, estes insetos se alimentam da seiva das árvores e de frutos maduros, ajudando com isso na propagação de nova vegetação.

Como é esse inseto?

A vaca-loura parece com um escaravelho, com a diferença de possuir mandíbulas enormes que se assemelham com chifres.

Este inseto é típico da Europa e, em Portugal inclusive, é visto como símbolo das florestas nativas desse país. Também, pode ser encontrado no sudeste da Ásia.

Seus vários nomes

A vaca-loura, cujo nome científico é Lucanus cervus, também é conhecido com outros nomes populares como:

Características

Os machos e as fêmeas dessa espécie têm tamanhos e formas diferentes, pois os  machos são mais chamativos e maiores. As fêmeas podem medir entre três e cinco centímetros de comprimento, já os machos chegam até nove ou 10 centímetros.

Outra diferença entre o macho e a fêmea é que as mandíbulas do macho são maiores do que as das fêmeas.

No que concerne ao aspecto físico, a vaca-loura tem cor escura com áreas avermelhadas, tem três pares de patas, uma cabeça pequena e um tórax grande.

Reprodução

Para se reproduzirem, após o acasalamento, as fêmeas colocam os ovos nas cascas das árvores caídas ou na madeira em decomposição, onde os ovos eclodem depois de cerca de duas ou quatro semanas.

As larvas se alimentam e se desenvolvem na árvore em um período que pode abranger de um a cinco anos, para depois passarem à fase adulta durante o outono.

A vaca-louca adulta vive por volta de um a quatro meses.

Comportamento

Estes insetos são mais ativos durante o entardecer, embora seja frequente encontrá-los a qualquer momento do dia em áreas arborizadas, sobretudo em florestas onde existem carvalhos, árvore preferida dessa espécie.

Os machos usam suas grandes mandíbulas para combater os adversários em disputas pela fêmea, na época do acasalamento.

Comumente, os machos se enfrentam nos galhos da árvores, e as lutas terminam quando um deles cai no chão.

Habitat

É raro encontrar vaca-loura em áreas urbanas, pois eles necessitam de habitats arborizados, por isso, a manutenção das florestas é muito importante para a preservação dessa espécie.

Nesse contexto,  a devastação das florestas e a urbanização estão fazendo com que o habitat preferido da vaca-loura esteja desaparecendo.

Projeto de proteção à vaca-louca em Portugal

Em Portugal, onde essa espécie é encontrada em grande incidência e é um ícone das florestas desse país, foi criado uma iniciativa de proteção a esse inseto, que é o Projeto Vacaloura.

Essa iniciativa tem como foco a aquisição e transmissão de informações sobre a vaca-loura para monitoração e preservação dessa espécie.

Esse projeto tem o objetivo de coletar dados sobre a distribuição e estado de conservação da vaca-loura e de outras  espécies de sua família, Lucanidae, através de informações passadas pelos cidadãos portugueses.

Alerta

Para quem mora em regiões onde vive a vaca-loura ou, até outros tipos de insetos similares, como o besouro e a joaninha encontrados no Brasil, fica o alerta SOS: caso vir esses insetos, deixe-os viver! Apenas os espante ou desloque-os em segurança para a área de vegetação.

Atitudes como estas, nos torna guardiões da Natureza!



Fonte: GreenMe - Deise Aur



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais