Notícias

Vídeo denuncia morte cruel e asfixiante de peixes em aquicultura na Europa

Compartilhe:     |  21 de outubro de 2018

Um vídeo mostrou a realidade chocante de peixes de criação na Europa para produtos de supermercado, provocando novos pedidos de regulamentação.

As imagens mostram sargos, robalos e trutas sendo retirados de redes apertadas, antes de serem despejados em recipientes plásticos, e deixados para se asfixiarem lentamente. Muitos passam seus últimos momentos se batendo impotentes contra o chão.

Peixes são retirados dos oceanos, seu habitat natural, por meio de redes (Foto: The Guardian)

Alguns dos peixes que sobrevivem sofrem uma sufocação, que aparentemente pode durar até uma hora em lajes ou recipientes cheios de lama e gelo. A filmagem mostra que alguns são eventualmente mortos com golpes na cabeça, utilizando-se de bastões de metal.

Ele também mostra ovas sendo espremidas manualmente de alguns peixes. Ativistas acreditam que isso seria estressante e doloroso para os animais.

As imagens foram filmadas secretamente em 2017 e 2018 pela organização Essere Animali, na Itália, e representam a primeira investigação sobre as “fazendas industriais” da Europa para peixes.

Claudio Pomo, co-fundador da Essere Animali, disse: “As fazendas de peixes são simplesmente fazendas industriais submarinas, mas com problemas mais sérios de bem-estar animal”.

“Nenhuma lei ou regulamento da UE protege os peixes e, depois de passar suas vidas em uma gaiola lotada, centenas de milhões deles são deixados a morrer lenta e dolorosamente de asfixia a cada ano”.

Os animais, fora da água, são deixados amontoados em recipientes onde morrem asfixiados lentamente (Foto: The Guardian)

Os peixes do vídeo foram enviados para alguns dos maiores supermercados da Itália, que a Essere Animali agora terá como alvo em uma campanha nacional de petições, e-mails e, potencialmente, protestos de rua, de acordo com Pomo.

“Os cientistas – e até mesmo a UE – descobriram que os peixes sentem dor”, disse ele ao The Guardian. “A maioria dos cidadãos europeus concorda conosco que é hora de dar a eles pelo menos os direitos básicos que os animais terrestres têm”.

Vídeo denunciou a realidade pelos quais peixes de criação passam em aquicultura na Europa (Foto: The Guardian)

Anja Hazekamp, uma eurodeputada holandesa no intergrupo do Parlamento Europeu para o bem-estar animal, disse ao The Guardian que é necessário tomar medidas para combater os métodos “horríveis” de abate de peixe revelados pela Essere Animali.

Ela disse: “Pedimos por um regulamento várias vezes e, eventualmente, a comissão apresentou um relatório, mas nenhuma legislação. Foi muito decepcionante. Bem-estar animal não é uma prioridade desta comissão, especialmente quando se trata de peixes. Os interesses comerciais sempre recebem maior prioridade, infelizmente”.

Muitas vezes, os animais são agredidos com bastões de metal para serem mortos (Foto: The Guardian)

Animais que sentem

Evidências de que os peixes possuem alto funcionamento cognitivo e reações conscientes e prolongadas a estímulos dolorosos foram expostas desde a virada do século.

Em 2009, a comissária de saúde da UE, Androulla Vassiliou, disse que havia “evidências científicas suficientes indicando que os peixes são seres sencientes e que estão sujeitos a dor e sofrimento”.

Um relatório da Comissão Europeia no início deste ano descobriu que as práticas em vários países da UE ficaram aquém do Código de Saúde dos Animais Aquáticos, mas apenas recomendou reformas voluntárias da indústria.

Uma porta-voz da comissão disse: “O ponto principal é que a Comissão Europeia não tem planos concretos para legislar nesta área no futuro próximo”.

Pesquisas afirmam que peixes são sencientes, assim como qualquer outro animal (Foto: The Guardian)

As leis da UE existentes dizem que os animais devem ser “poupados de qualquer dor, angústia ou sofrimento evitáveis” antes do abate. Entretanto, ela não parece estar sendo seguida nas quatro fazendas filmadas pela Essere Animali.

A produção mundial de peixe mais do que duplicou desde a década de 1960 e metade do total vem da aquicultura. A Itália produz 185 mil toneladas de peixe por ano – 12% do total da pesca na Europa.

As estimativas do número de peixes mortos globalmente em fazendas comerciais a cada ano variam de 37 a 120 bilhões, com até 2,7 trilhões de peixes capturados na natureza.

teste – Veja também:



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Medicamentos e remédios caseiros: o que fazer e o que não fazer?

Leia Mais