Notícias

Vidro ou plástico? Pano ou papel? Veja o que é melhor quando faltar água

Compartilhe:     |  10 de maio de 2015

Muita gente responderia rapidinho que a melhor solução para economizar água é parar de lavar a louça em casa e passar a usar copos, pratos e talheres de plástico. A capital paulista tem vários exemplos de restaurantes e lanchonetes que adotaram descartáveis na tentativa de amenizar a falta de água. O “plano B” é colocado em ação numa tentativa de evitar perder clientes.

Mas não é bem isso que a gente deve fazer se quiser agir contra o problema de desabastecimento.

A conta é simples: os materiais de plástico demandam uma quantidade de água muito maior em sua fabricação e reciclagem do que a usada para lavar utensílios reutilizáveis (de vidro, metal, cerâmica etc.). Você sabia que são necessários 3,5 litros de água para produzir um único copo plástico, enquanto usamos no máximo 500 ml na lavagem?

De cara, a primeira medida a se tomar nestes tempos de crise hídrica é reduzir o consumo em geral. Então, segundo a ONG Akatu, que trabalha há 14 anos com ações de consumo consciente e sustentabilidade, não devemos trocar “seis por meia dúzia”, mesmo em um momento de urgência, quando a torneira seca.

“No longo prazo, você vai trocar um problema pelo outro, esse é o raciocínio que as pessoas precisam fazer. Para produzir um copo de plástico, essa água sai de algum lugar, e esse lugar é o mesmo sistema que traz a água para a gente beber, cozinhar e tudo mais”, diz Ana Néca, coordenadora de comunicação do Akatu. “A crise é uma oportunidade para mudar de comportamento tanto no âmbito do consumo de água quanto em outros.”

Podemos adotar hábitos simples, mas eficazes e duradouros. Captar água de chuva, reutilizar a água e reaproveitá-la em quantas etapas for possível são algumas das medidas a serem incorporadas ao nosso dia a dia, não apenas em época de crise.

Em casa, se não há condição de recolher água da chuva, veja o que você pode fazer:

Dicas para economizar água
  • 1) Priorize materiais duráveis

    Use sempre o mesmo copo de vidro para tomar água, não é preciso lavá-lo toda vez. No trabalho, prefira caneca, copo de vidro e garrafas ao copo plástico descartável.

  • 2) Diminua a quantidade de utensílios usados

    Sempre que possível, reaproveite as panelas na hora de cozinhar. Guarde a comida na geladeira dentro das panelas onde os alimentos foram feitos e evite sujar (e lavar) potes plásticos. Uma família de três a quatro pessoas usa, em média, 140 litros de água a cada lavagem de louça.

  • 3) Use o guardanapo como aliado

    Para economizar até 110 litros, passe o guardanapo que você acabou de usar para tirar os restos de comida do prato e deixe de molho em uma bacia com detergente para a sujeira amolecer. Alguns minutos depois, limpe tudo com esponja e retire o sabão da louça com um fio de água. Para economizar mais, depois da esponja, passe os pratos em outras duas bacias com água, no lugar de abrir a torneira.

  • 4) Colete a água usada para lavar as mãos

    Coloque um pote em formato de cumbuca dentro da pia, embaixo da torneira e sobre o ralo. Toda vez que lavar as mãos, o volume que iria direto para a rede de esgoto cai no vasilhame e pode ser armazenado, com sabão mesmo, em um recipiente maior, como um balde. Use essa água no vaso sanitário, um dos maiores vilões do consumo de água dentro de uma residência.

  • 5) Reduza a água desperdiçada na descarga do banheiro

    Encha uma garrafa PET de 1,5 litro com areia e coloque-a dentro da caixa acoplada ao vaso sanitário. O volume total de 6 litros, liberado toda vez que a válvula é acionada, é reduzido a 4,5 litros, suficiente para eliminar todos os resíduos. Essa simples ação pode representar uma economia de 200 litros de água em um mês.

  • 6) Prolongue a vida útil da água armazenada

    No apartamento, a máquina de lavar roupa é um perigo: são 135 litros por lavagem. Esta água pode ser reaproveitada na limpeza de panos e quintais ou nas descargas. Mas, por ter resíduos orgânicos, apodrece rapidamente. Com uma colher de sopa de água sanitária para cada 20 litros armazenados, ela durará mais uma semana. Só evite tecidos que podem manchar. E deixe tudo fechado para evitar a dengue.

  • 7) Compartilhe informações nos elevadores

    Fale com o síndico do prédio: dicas como estas e outras podem ser disponibilizadas nos elevadores e áreas sociais dos prédios. Sugira que a conta de água do condomínio também fique visível. É possível, assim, acompanhar mês a mês se houve economia e de quanto foi, na média, a redução por apartamento. Isso ajuda a fortalecer a mobilização e o espírito de comunidade.



Fonte: Uol - Gabriela Fujita



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Doação de sangue em animais: como funciona e os requisitos para um animal ser doador

Leia Mais