Notícias

Volta às aulas: Problemas de coluna podem ser evitados adequando o peso da mochila

Compartilhe:     |  23 de janeiro de 2020

Perto do fim das férias escolares, os responsáveis começam as compras de material didático para o ano letivo. Mas, é preciso estar atento com o peso final de tudo que precisa ser levado para a escola. “Tanto mochilas quanto bolsas podem sobrecarregar o mecanismo da coluna, e isso tem mais relação com peso do que com modelo”, é o que explica o ortopedista Professor Adjunto de Ortopedia da Faculdade de Medicina da UFRJ, Márcio Schiefer.

Segundo a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, o peso da mochila não deve ultrapassar 10% do peso do adolescente. O especialista afirma que problemas de coluna na fase adulta poderiam ser evitados caso houvessem mais precauções na puberdade. O ortopedista analisa os modelos:Mochila: as mochilas trazem a sensação de que são a melhor opção porque dividem o peso igualmente pelos dois ombros, proporcionando uma distribuição mais uniforme de carga mas, essa carga existe, e estando acima do recomendado, pode mudar a função biomecânica da coluna pois aumenta a pressão nos discos, muda a inclinação da coluna, aumenta a lordose lombar, entre outros problemas que podem causar dor.

Bolsa de ombro: no caso das bolsas, é colocado todo o peso em um ombro, e se o peso for inadequado, pode levar a desvios laterais (ficar com o tronco mais inclinado para um lado), predispondo a ocorrência de dor. Bolsa Transversal: A melhor saída para evitar o desequilíbrio seria usar na transversal, entretanto, se for com muito peso, também não resolve, apesar de ser a melhor opção.

Pasta: enquanto as mochilas sobrecarregam mais a coluna, as pastas sobrecarregam mais os ombros, não só a pasta mas qualquer outro acessório, utensílio, que carregamos com os braços esticados junto do corpo pode colaborar com a ruptura de um dos tendões do ombro.

Como se prevenir de uma futura lesão?

“A melhor opção no sentido da coluna, seria uma mochila com uma bolsa na frente e outra atrás para que a carga ficasse igualmente distribuída, mas ainda não vemos esse modelo disponível”, afirma o ortopedista. Segundo ele, Independente do modelo é preciso estar atento a carga, isso que vai determinar o risco de lesão. “Recomendo usar na transversal, é melhor do que usar em um ombro só ou carregando com uma mão só. Na transversal diminui o risco de dores e lesões”.

Como tratar em caso de lesão?

Schiefer explica que a solução vai depender da intensidade dos danos. “Se forem só alterações posturais e biomecânicas, se corrige com reeducação postural, exercícios físicos de fortalecimento e alongamento. Mas, se o adolescente segue usando diariamente uma mochila pesada, com o passar dos anos, é considerado uso crônico, e neste caso, havendo desgaste no disco, esse desgaste é irreversível! Embora vale ressaltar que é possível conviver com esse desgaste sem dor, com tratamento e exercícios”.



Fonte: O Dia



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

PETA quer banir o uso do termo “animal de estimação” por ser depreciativo para os animais

Leia Mais