Notícias

Whey protein: dando uma força para a malhação. Benefícios e como escolher

Compartilhe:     |  16 de junho de 2020

Embora a pandemia de Covid-19 tenha impedido muita gente de ir às academias de ginástica, isso não significa que não haja outras formas de nos exercitarmos.

Naturalmente, aqueles que tinham em sua rotina diária os exercícios de musculação sabem que “malhar em casa” não tem o mesmo efeito, pois a diversidade de equipamentos e halteres que tem na academia, não tem em casa (embora pesinhos possam ser improvisados com garrafas pet cheias de água arroz ou areia).

Mas isso não precisa, no entanto, ser desculpa ou empecilho para deixarmos de praticar alguma atividade física em casa. Se, por um lado, não podemos ir à academia, por outro,há vários aplicativos e vídeos de profissionais de educação física disponíveis, inclusive, gratuitamente para que possamos treinar.

 

O que é whey protein

O whey protein nada mais é do que aproteína do soro do leite obtida da coagulação do leite na fabricação de queijo, que tem por objetivo o crescimento muscular após os treinos de resistência, ou seja, ele é usado para auxiliar na hipertrofia muscular.

Benefícios do whey protein

Mas não apenas para o ganho de massa muscular serve o whey protein. O suplemento tem vários benefícios para a saúde.

Um estudo divulgado pelo The American Journal of Clinical Nutrition demonstrou que o whey protein é precursor da glutationa, um importante antioxidante que atua na desintoxicação do organismo, informa o site Essential Nutrition.

Uma outra pesquisa, divulgada na revista Geriatrics & Gerontology International, mostra que a prática de exercícios físicos junto com o uso de whey contribui para inibir a perda de massa muscular em idosos.

Alguns outros benefícios contidos no produto são:

Imunidade: as suas duas principais proteínas – alfa-lactoalbumina e beta-lactoalbumina – atuam nas células de defesa do organismo.

Saciedade: estimula a produção de hormônios relacionados à digestão e saciedade (CCK e GLP-1) e ainda inibe a liberação de grelina, o “hormônio da fome”.

Controle do diabetes: reduz o aumento dos níveis de açúcar no sangue após as refeições.

Uso pós-operatório: estimula o anabolismo, sendo o seu uso indicado para a recuperação no período de pós-operatório e de queimaduras.

Mas o whey protein funciona?

Afinal, para a prática de exercícios físicos, o whey protein é um auxiliar que dá resultado?

O médico Stuart Gray, da Universidade de Glasgow (Reino Unido), fez um experimento para tentar provar se isso é ou não verdade a partir da premissa de que, se os nossos músculos contêm proteínas, a proteína extra do whey deveria gerar mais músculos.

O resultado da pesquisa foi que os participantes ganharam massa muscular fazendo exercícios de resistência e força, tendo o suplemento pouco a ver com isso.

De acordo com o Universo A, uma pesquisa apresentada na Conferência Anual do Colégio Americano de Medicina do Esporte mostrou que tomar leite com chocolate pós-treino é mais eficiente que whey e isotônicos, além de ser mais barato.

Isso não significa que o whey não tenha valor biológico e seja um auxiliar importante no ganho de massa muscular. Ele só não é um suplemento milagroso e precisa ser usado a partir de uma análise nutricional condicionada aos objetivos do paciente.

Como escolher o melhor whey protein

Essa é uma questão que depende de algumas variáveis. O que costuma pesar mais é relação custo x benefício, visto que o whey não é um suplemento barato.

Todavia, essa não dever ser a única variável a ser considerada, pois o valor do whey, além do financeiro, está na qualidade da proteína isolada.

O blog Vitha explica as três diferenças básicas do produto:

  • Concentrado: é a versão mais simples da proteína. Em função disso, é também aquela com maior concentração de açúcar e gordura. Por ser a menos “pura”, essa versão tem preços mais baratos.
  • Isolado: a proteína é trabalhada para ficar ainda mais isolada de açúcares e gordura. Como consequência, o preço é um pouco mais elevado do que a versão concentrada.
  • Hidrolisado: esse formato sofre um processo de hidrólise (quebra da proteína em pequenas frações), tornando o suplemento ainda mais fácil de ser absorvido pelo organismo, sendo ideal para a recuperação muscular. Tem o inconveniente de, por ser um produto melhor, ser também mais caro.

Outro aspecto importante para a escolha do whey é observar a composição química do produto. Dê preferência àquelas marcas que coloquem menos aditivos no whey. A dica é evitar rótulos que dizem que o whey tem grande quantidade de maltodextrina, corantes, saborizantes, aromatizantes e/ou conservantes.

Escolha um whey por cujo preço você possa pagar e que tenha alguma qualidade. Existem boas opções que não são as mais caras do mercado.

Whey vegano

Veganos podem tomar whey? A resposta é sim, e o suplemento pode ser um bom auxiliar à dieta vegana, que pode ser carente de proteína.

A fórmula desse tipo de whey contém proteína vegetal, como, por exemplo, a proteína isolada da ervilha. Já existem várias marcas de whey veganos a preços acessíveis e até mais baratos dos que os de origem animal.

Como usar o whey protein: receitas

As receitas com whey são muito variadas. Ele pode ser misturado a frutas, shakes, massa de panqueca, misturas para bolo. Enfim, use a sua imaginação para montar as suas próprias receitas.

É muito comum quem malha, após o treino, amassar uma banana e polvilhar sobre ela um scoop de whey com chocolate em pó ou canela.

Outra receita é fazer shakes com frutas. Adicionar ingredientes termogênicos como gengibre, canela, açafrão e cacau em pó (não o achocolatado, que tem açúcar) ajuda a “turbinar” a receita.

Consulte sempre um especialista

Antes de começar a usar qualquer suplemento, ainda que ele possa ser adquiridos sem receita, é importante consultar um nutricionista ou um médico, que vão prescrever a quantidade necessária do produto para a finalidade almejada pelo paciente.

Embora qualquer farmácia ou loja de suplemento vendam potes de whey, tornando muito fácil a sua aquisição, trata-se de um suplemento que age no organismo e, portanto, não pode ser usado indiscriminadamente.



Fonte: GreenMe



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Medicamentos e remédios caseiros: o que fazer e o que não fazer?

Leia Mais